domingo, 13 de setembro de 2009

Neurônios em Cores

Em novembro de 2007 cientistas, coordenados pelo Professor Jeff W. Lichtman, do Department of Molecular and Cellular Biology (Departamento de biologia molecular e celular) da universidade de Harvard nos Estados Unidos, publicaram na revista Nature (Vol 450| 1 Novembro 2007) um trabalho que chamou a atenção da comunidade científica. Eles desenvolveram duas estratégias genéticas para produzir camundongos transgênicos que expressam proteínas fluorescentes. Chamado de Brainbow (trocadilho com a palavra inglesa ‘rainbow’ que significa arco-íris) os camundongos fazem jus ao nome dado a eles, pois, após a injeção de um fator de transcrição protéico (o que estimula a expressão dos transgenes nos animais), o cérebro dos camundongos se transforma num verdadeiro arco-íris. Isso ocorre graças à técnica desenvolvidas pelos cientistas que conseguiram combinar randomicamente genes que expressam proteínas fluorescentes quando ativados de modo que as combinações randômicas conseguiram gerar um espectro de 90 cores!
A nova técnica tem tudo para ser promissora e trazer grandes avanços para neurociências, na visualização de sinapses e para melhor entendimento do próprio mecanismo de plasticidade sináptica.
O primeiro passa já foi dado. Agora é só esperar que outro grupos comecem a utilizar aprimorar a técnica para que possamos, cada vez mais desvendar os mistérios do cérebro.
 
PARA SABER MAIS:
Nature:
Transgenic strategies for combinatorial expression of fluorescent proteins in the nervous system
Jean Livet, Tamily A. Weissman, Hyuno Kang, Ryan W. Draft, Ju Lu, Robyn A. Bennis, Joshua R. Sanes & Jeff W. Lichtman
Algumas imagens ilustrando a técnica:

Um comentário:

Cristiane disse...

Olá!
Como faço para ser seguidora do seu blog?
Grata!